sábado, 27 de julho de 2013

Jorge Salerón - Escadaria da LAPA na Faculdade SANTA CECÍLIA

Quem foi: Jorge Selarón

Pintor autodidata, nasceu no Chile em 1947. Sempre aventureiro viajou para vários países. 
Durante um período, para se sustentar, foi professor de tênis. No entanto nunca abandonou a pintura, tendo participado de inúmeras exposições na Europa, México, Nova York, India, Panamá e outros lugares.

Um dos personagens mais conhecidos do bairro da Lapa, Selarón  desde 1983 vive no Brasil. Seu grande sonho é manter e completar a decoração, com mosaicos, da escadaria, com 215 degraus e 125 metros de comprimento, que liga a Lapa ao bairro de Santa Teresa, na cidade do Rio de Janeiro — escadaria do Convento de Santa Teresa,
também conhecida como Escadaria Selarón, situada no final da Rua Teotônio Regadas
(rua lateral à Sala Cecília Meirelles).
O artista morava em uma das casas do local. (Rua Manoel Carneiro).




Tudo começou como uma homenagem ao povo brasileiro de quem tanto gosta e tão bem o acolheu.
Por estar a longa escadaria abandonada e suja o artista, usando  cores da bandeira brasileira,  — verde, amarelo e azul 
—, deu início à colocação dos azulejos por ocasião da Copa do Mundo de Futebol de 1994.


Foram fixados azulejos inteiros, ou em cacos, originários de muitos países: África do Sul, Alemanha, Argentina, Áustria, Canadá, Chile, Colômbia, Coréia, Bélgica, Bolívia, Chile, China, Equador, Escócia, Estados Unidos, Egito, Espanha, Filipinas, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Índia, Indonésia, Inglaterra, Iraque, Irã, Irlanda,Israel, Itália, Japão, Líbano, Marrocos, México, Nigéria, Paquistão, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Rússia, Suíça, Turquia, Uruguai, Venezuela, e do Brasil, totalizando cerca de 2.000 peças.
Foram presentes de turistas estrangeiros, de amigos brasileiros ou obtidos em demolições e, também, adquiridos no comércio ou criados pelo próprio artista.

Veja mais no site: Ceramica no Rio


Agora, vamos falar o porque estou colocando sobre esse artista:

O professor de EXPRESSÃO E REPRESENTACAO GRAFICA III - GILSON DE MELO BARROS
quis retartar essa obra na Faculdade Santa Cecília - Santos, para falar um pouquinho da história do Brasil e suas intervenções. Tudo começou por um azulejo de nossa escolha. Ele deu os temas que poderiam ser escolhidos para a produção.

Veja a orientação:

Descritivo – Trabalho em grupo (máximo de 5 integrantes). Entrega – 03 de março.

Pesquisa – Recolher, minimamente, 5 imagens para cada tópico anunciado, identificando-as. Imprimir em tamanho aproximado a 5x5 cm.

TÓPICOS da pesquisa.
  1.     Grécia clássica – Frisos.
  2.     Roma – Frisos.
  3.    Bizâncio – Mosaicos / foco nas molduras.
  4.    Arte Islâmica – Mosaicos / arte e arquitetura.
  5.    Barroco – Colonial brasileiro / foco na azulejaria.
  6.    Companhia das Índias / Louçaria / Foco nas cores.
  7.    As belezas do Maranhão – Azulejos. 
  8.    Antoní Gaudi – Parque Guell.
  9.    Modernismo / concretismo – Atos Bulcão.

A partir dessa escolha, começamos a diminuir o tamanho das peças e aumentar as texturas.
Olha como ficou a do meu grupo:




Logo que montamos a ordem de azulejos, o professor pediu para que confeccionassemos em adesivo para aplicação nas escadas da faculdade.




Assim que terminamos a aplicação, deu um orgulho do efeito. Realmente é uma atividade de pude aprender um pouquinho mais sobre um local e um artista.
Veja como ficou a vista da escada no primeiro andar, perto da secretaria, onde o fluxo é intenso.



Só que não fica só no meu grupo de 5 pessoas.
Minha sala tem mais que isso. então, vai á baixo mais alguns lances das escadas do bloco M.





Depois desse trabalho descobri que esse grande artista, que não mudou o mundo, mas mudou ele e quem e o que vivia em volta dele, tinha sido assassinado ou mesmo se matou.
Mesmo assim fiquei bem chateada com a informação.

Leia mais aqui:

Onde você encontra a escadaria da lapa??
Aqui: LINK 1 / LINK 2


--


Bom. Agora fico por aqui. Até a próxima postagem o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares