quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Design Essencial 2013 - Luiz Navarro - Tema: Mecanismo de Criatividade #1



Palestra: Mecanismo de Criatividade
Data e horário: 06/11/2013 das 19h30 às 21 horas

A palestra consiste na apresentação do mecanismo de criatividade e geração de ideias voltadas para inovação do design de Interiores e arquitetura. A metodologia usada em cada projeto onde temos a base técnica, a necessidade de cada cliente junto com a mais nova tecnologia em materiais.

Palestrante: Luis Navarro
O arquiteto e designer já participou de várias mostras, como: Casa Cor 2002, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007; Mostra Amazônia de Decoração e Espaço Gourmet Arno. Recebeu o prêmio Deca 2003, como melhor banheiro comercial; e o prêmio Nacional de Arquitetura da empresa Roca, em 2009. Suas obras já foram publicadas em mais de 60 revistas tais como: Casa Vogue; Casa Claudia; Casa & Mercado; Viver Bem e Casa e Construção. Seu último grande trabalho na área comercial foi a decoração do campus do Senac com 51.164,68m² de área construída, em Santo Amaro, São Paulo.

Introdução desse ciclo de palestras:





Luiz Navarro - Arquiteto e Urbanista, começou falando um pouco do atendimento com seus clientes, da transformação de um ambiente e da área profissional em que trabalha.
Tudo envolve dinheiro e tudo envolve pessoas.

Em alguns momentos passou fotos de alguns projetos e as orientações que devemos cuidar e pesquisar, como o vinho.
Para fazer uma adega, primeiro você tem que estudar sobre os vinhos, como funcionam, quais são seus instrumentos. Ex: um decanter: serve para deixar o vinho respirar e baixar os resquícios da uva.
Além da utilização vai o modelo, o design, o peso e tudo que envolve.
Além de saber também que a garrafa tem que ficar em um angulo que deixe a rolha submersa para não secar e estragar o vinho.

Veja alguns modelos de DECANTER:




 Outra orientação e comentário de Navarro foi:  quem somos nós profissionais?
Somos especificadores.
Que no dicionário explica:

Especificar:
Por Dicionário inFormal (SP) em 20-03-2009


1 - Tornar específico, individualizar, indicar separadamente: 
2 - Indicar ou atribuir classificação segundo a espécie;


Achei interessante quando ele disse isso. Pois são coisas simples que não prestamos atenção e algumas vezes esquecemos de atribuir nos afazeres.

Já fazendo um gancho do assunto, ele também comentou que é importante fazer um documento que você dará ao cliente sobre os materiais que está usando:
  • A composição do material
  • Forma de aplicação que foi utilizada
  • A manutenção.
Pois a garantia que tem no produto, vai da forma que lidamos com esses acabamentos.

Em relação a custos, ele compõe uma planilha de valores de cada acabamentos e itens a serem incluidos no projeto.
Colocando os materiais, formas e condições de pagamento, valores e outros itens importantes para manter seu cliente atualizado e sabendo o que será importante para a realização do projeto.

video 

Em meio a palestra fiquei curiosa para saber como ele procedia, como trabalhava na parte do cliente e fornecedor.
Ele indica os fornecedores que está acostumado a trabalhar e o cliente faz o contato direto com ele. Sendo assim o profissional de Arquitetura ou Design não precisam intermediar retendo notas e procedimentos. 

Importante nós profissionais já saber-mos o perfil do cliente para direcionar em questão de acabamentos, de escolha de materiais, pois se ele for em uma loja que trabalha com muitos tipos, ele pode acabar não escolhendo nenhum ou até mesmo mais do que um e não combinar com o que você já tinha planejado.
Leve até três opções de cada tipo de material que mesmo assim já é mais que suficiente.

Achei interessante também como ele trabalha com portas escondidas.
Veja alguns exemplos dessas portas misteriosas:






No projetos ele trabalha bastante com vidro SERIGRAFADO.
Mas afinal, o que é isso?

O vidro serigrafado, também conhecido como vidro pintado a quente, é um material que recebe desenhos ou cores por meio de telas de silkscreen com uma tinta especial, cujo conteúdo é fixado no vidro em altíssimas temperaturas – gerando, basicamente, um processo de pintura e têmpera.
Esse processo, que termina em um forno para que a tinta fixe na chapa a quase 600 graus, produz um material resistente a riscos e manchas de gordura em um vidro que também ganha resistência após o processo de têmpera. Essa é uma das desvantagens do produto, afinal, o vidro temperado não pode ser cortado ou modificado.
Vidros refletivos também podem receber serigrafia, contanto que a metalização resista à tempera – proporcionando, dessa forma, ganhos em controle de controle solar e conforto térmico. Em coberturas, escadas, fachadas e guarda-corpos, situações em que o processo exija mais segurança, a serigrafia deve ser efetuada em vidros laminados.
Além de ser uma bela peça decorativa, o serigrafado apresenta propriedades que vão muito além. Em automóveis, age no bloqueio de raios ultravioleta e infravermelho, que reduzem a aderência do material utilizado para a fixação dos vidros. Em fornos micro-ondas, por exemplo, protege a lã térmica que mantém o calor interno. Como as opções de cores e desenho são variáveis, as possibilidades de desenvolvimento e aplicação da serigrafia são muito extensas, com bom aproveitamento em vidros de qualquer tamanho.

FONTE: ANAVIDRO



Algumas fotos da palestra. e eu alí na frente representando...hahahahaha 



 Nosso palestrante da noite.


Luiz Navarro e Helora Schlegel


Camila Anchia, Luiz Navarro e Helora schlegel


A Camila, é amiga do curso de Design de Interiores que fazemos na Universidade Santa Cecilia em Santos- SP

Bom...a postagem fica por aqui.
Continue acompanhando as publicações do blog....
o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares